Casos da Aviação

O Radar de São Paulo travou

 

Apesar deste evento ter acontecido a muitos anos, acho que vale colocá-lo neste espaço a fim de que tenhamos meios de observar alguns efeitos anômalos que os OVNIs podem ocasionar. Embora muito simples, nunca vi outro relato deste tipo. 

Aproximadamente no ano de 1980, estava andando pelo Aeroporto de Congonhas. Naquela época uma das coisas que gostava de fazer era de andar pelo Aeroporto. Entre tantas coisas que os novatos gostam de fazer é estar no meio do pessoal. Volta e meia era comum encontrarmos amigos por ali. 

Neste dia, algo diferente iria acontecer. Ocorreu que, encontrei um amigo que era professor de uma escola de pilotos e estava ele naquele dia, com uns manicacas. Bem, eu próprio era um manicaca. Ao cruzar comigo me disse que ele iria tentar uma visita a Sala de Controle do Radar em São Paulo. Não pense que isto é alguma coisa fácil de ser feita. A presença de uma única pessoa num local deste já altera a rotina dos controladores quanto mais um grupo de aproximadamente 07 pilotos. 

Evidentemente que hoje em dia. a integração e conhecimentos do que acontece em uma sala do radar ou de qualquer outro órgão é muito bom para ambos os lados. Acredito que quem quer que naquela época tenha autorizado a nossa entrada pensou neste tipo de integração e vai aqui o meu agradecimento e admiração. 

Havia ali em controlador muito jovem que fora designado a nos dar explicações do funcionamento e dia-a-dia do trabalho do controlador. Após inúmeras explicações, não resisti à tentação de perguntar-lhe acerca dos OVNIs e se eles haviam tido alguma experiência com os mesmos. Senti um grande frio passar pelo estomago, pois ele se levantou de sua cadeira e me olhou atentamente... 

Tem que se entender que, naquela época, um piloto manifestar interesse sobre este tipo de coisa era extremamente ARRISCADO no aspecto profissional. Fiquei com receio de naquele momento ser reportado à área médica. Isto era sério. A primeira coisa que iriam fazer seria enviar-me ao setor de psiquiatria, e ter o meu suado brevet de Piloto Privado suspenso ou cassado. Caramba, logo no inicio!! 

Bem seu olhar se fixou na minha pessoa, ele olhou para o ambiente a volta, procurando se certificar que a sua próxima atitude estava em terreno seguro. Subitamente ele falou para eu o acompanhar. Se deslocou até uma das telas que ali havia e disse. 

Houve um dia em que eu estava exatamente nesta tela, tomando conta do setor de aproximação para a pista 17. Tudo estava transcorrendo normalmente, até que identifiquei 03 alvos praticamente em cima do Pico do Jaraguá. Estes alvos se moviam naquelas vizinhanças, efetuando toda a sorte de movimentos. O mesmo foi identificado nas outras telas e o alvoroço começou aqui na sala. Sabíamos que não eram aviões e estavam lá. Algumas incertezas pairaram sobre as nossas cabeças sobre o procedimento a ser adotado nestas circunstancias. O radar continuava a fazer a varredura e lá estavam os alvos. Preste atenção" depois de efetuar algumas varreduras confirmamos realmente a presença daqueles alvos mas algo de muito estranho aconteceu. EM UMA DAS VARREDURAS O RADAR SIMPLESMENTE TRAVOU NA POSIÇÃO DOS ALVOS. Neste momento tivemos que reverter para procedimentos convencionais toda a área de São Paulo. O RADAR PAROU DE FUNCIONAR APONTANDO PARA A DIREÇÃO DOS ALVOS!!! Por causa do Radar ser francês, tivemos que chamar os técnicos da França para resolver o problema. Quando eles chegaram, efetuaram uma bateria de testes. Bem estranho foi o fato que eles simplesmente não encontraram nada de errado com o mesmo, ou seja, não conseguiram identificar a causa que teria levado o Radar a aquela abrupta parada. Nenhum defeito técnico ou mecânico foi encontrado nele... Mas ele parou apontando para os alvos e isto foi constatado pela equipe francesa. 

Mantive esta informação guardada por mais de 26 anos. Mas aí ela está tal qual me foi transmitida pelo controlador.

O objetivo de trazê-la é que vejo que as coisas estão mudando para melhor. Acho que dando este passo, ainda que tímido, outros me seguirão. Há muitos que sabem muito mais .

 

  Fonte: GEO-Grupo de Estudo dos OVNIS /  Postado por: A. Filié Jr. 

Voltar